RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

Como é o processo de recrutamento e seleção?

O processo de seleção de funcionários inicia-se com o recrutamento. Se o recrutamento é adequado, a seleção estará muito próxima a conseguir os objetivos de sucesso: conseguir que os melhores candidatos procurem pela empresa.

Nos mais de 35 anos de vida empresarial e conheci as armadilhas do recrutamento, e quando me refiro a armadilhas, é isso mesmo: verdadeiras armadilhas.

recrutamento-e-selecaoA norma estabelece as empresas organizadas, um procedimento para esta parte do processo de seleção, mais ou menos igual.

As empresas mais organizadas tem estabelecidas procedimentos para o processo seletivo que são muito semelhantes entre elas.

Esse processo inicia com a necessidade de talento humano, provocado pela abertura de novos encargos, substituição de pessoas que começaram se aposentam, demissões, etc.

Para oficializar o início desse processo há a necessidade de apresentar as justificativas e ter a aprovação  do diretor de divisão, chefe de departamento ou de secção e, por fim, a gerência da empresa. A justificativa  obriga a elaborar o Perfil do Cargo: objetivos, funções, obrigações, nível hierárquico, etc.

Inicialmente deve ser considerados  que as vagas devem ser preenchidas, em princípio, por membros da mesma empresa que vem esperando uma promoção ou uma oportunidade para subir na escala hierárquica. Isto nos leva a estabelecer, que o primeiro passo no processo de recrutamento, deve-se fazer internamente.

Após pesquisa interna das pessoas, confrontando com os requisitos descritos no Perfil do Cargo não coincidir com nenhum colaborador, inicia-se o processo de recrutamento externamente. Isso significa que, dependendo do cargo e de suas necessidades, faremos contato com Universidades, Instituições Tecnológicas ou técnicas, escolas de comércio, bolsas de emprego, associações de profissionais, caça talentos ou agências especializadas, anúncios de jornais, Internet, etc. Desta forma, a certeza de que estamos no caminho certo.
Muitas empresas possuem normas e procedimentos bem definidos e seguem à risca, são apegados aos procedimentos e eventualmente serão auditados e a aprovação dessas auditorias são considerados importantes nessas organizações.

PRINCIPAIS ERROS NO PROCESSO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO

Porem, há casos em que esses procedimentos existem de forma figurativa.Sempre existirão os candidatos “preconcebidos”, afilhados, de algum chefe interno, de um parente, do gerente do Banco, grande amigo, etc. E começa o processo e a tendência de se  escolher os “preconcebidos”. Alguns desses “candidatos” são capazes. E, neste sentido, conseguem aprovação no processo, mas na maioria dos casos, esses candidatos “recomendados” têm deficiências, quer na experiência, nos conhecimentos e, inclusive, são portadores de conhecimentos que nada têm que ver com os exigidos pelo cargo. Na verdade é um jogo de cartas marcadas.

O resultado é uma péssima contratação, desnecessário dizer que não há nenhuma cinergia entre candidato e Perfil da Vaga, e ao invés de uma solução, tem-se um tremendo problema.

Do ponto de vista do candidato, não há como recriminar esse comportamento,  diante de tanto desemprego e falta de oportunidades, as pessoas  procuram por “padrinho”. São as circunstâncias, dirão alguns,  é uma prática comum, existente há muito e muito tempo.

Participação do chefe imediato na seleção de seus subordinados diretos

É interessante pensar que esta é uma prática lógica, inteligente e oportuna. Se alguém vai colaborar, eu devo estar seguro de suas capacidades e, de fato, farei  as provas necessárias para atingir de forma fidedigna essa segurança de selecionar o candidato correto.

Muitas vezes, essa prática, que se mostra lógica, saudável e necessária é usado para desqualificar aqueles que podem colocar em perigo “meu lugar”. É simples assim. Se o candidato dispõe de algum tipo de característica que possa vir a perturbar a minha permanência no cargo, pela lei de “sobrevivência de trabalho”, há que serem descartadas.

Então encontramos subordinados medíocres, ordenados por chefes medíocres, apoiados por dirigentes medíocres e a escala de mediocridade, fortalecida.

SALÁRIOS

O produto final: a seleção de pessoal longe dos padrões de qualidade, que é apenas uma parte do problema. A outra parte, tem que ver com a possibilidade de pagar salários ajustados às exigências do cargo e acima de tudo, com as responsabilidades inerentes.

Todo produto é possuidor de qualidade. A qualidade será baixa ou alta, em consideração as pessoas que se qualificam. Mas a qualidade indistintamente para a classificação das pessoas de avaliação, será relativa ao produto em si.

Vejamos isso desta maneira: a qualidade de uma camisa que comprei por r $100.000, “não será a mesma”, da camisa que eu comprei por r $30.000.

Óbvio, diria minha filha menor. Mas não podemos ignorar que cada uma das camisas, possui uma qualidade “relativa” ao seu preço.

A que vem esta comparação? Simples. Muitas vezes, as empresas exigem conhecimentos, experiências, etc., exageradas (às vezes, nem são necessários), para os candidatos pretendentes a ocupar as vagas, longe, muito longe do que economicamente lhe podem oferecer como recompensa. E aqui entra o conceito de que a “qualidade é relativa”: Obtemos o que podemos pagar.

Sejamos otimistas e vamos pensar que alguém aceita um cargo,cumprindo com todos os requisitos exigidos, mas esta, por sua vez, por não contar com os meios econômicos, ou para não causar uma bagunça salarial e organizacional oferece um salário, longe das aspirações do candidato (que isso é outra coisa), ou o que o mercado sinaliza para o cargo.

Que  futuro a empresa espera, em tempo, em permanência e entrega, por parte deste novo colaborador?

CONCLUSÃO

A  seleção de pessoal deve ser séria, formal, justa e imparcial. Séria, no apego aos procedimentos e no respeito para com os candidatos.

Formal, no cumprimento rigoroso de todos e de cada um dos passos necessários ao processo. Sem armadilhas.

Justa, em que as definições finais e a escolha do ou dos candidatos para os diferentes cargos.

Nunca é tarde. O crescimento operacional, comercial e financeira das empresas, sempre vai depender da qualidade da equipe de colaboradores, que são os que vão estar a lançar as bases sólidas para o crescimento da organização. Como empresários se deve pensar na dualidade inicial, mas tendo como objetivo final, a expansão da empresa, que só será alcançado com pessoas comprometidas, fiéis aos seus princípios, valores que são “reforçado” em sua trajetória na empresa, observando e vivendo a correta aplicação dos mesmos.

 

Veja mais em : Profissional Desejado